• Márcia Carini

GPT-3: ele escreve textos (bons) em qualquer estilo...e busca sozinho as informações

Atualizado: Jul 21


O mundo está alucinado com o GPT-3. Pense em uma super Inteligência Artificial capaz de escrever textos melhor que...quase todo mundo. Texto embasados, cheios de informação. Ele escreve notícias, manuais técnicos, releases, publicidade, roteiros, cifras de violão, músicas, códigos de computador... Se você der a ele um título - digamos "O desavisado" - e o nome de um autor - digamos Fernando Sabino - ele será capaz de escrever cum conto inteiro, com o estilo do falecido escritor. Só isso já seria assustador. Mas agora pense que ele é capaz de fazer coisas como te entregar um site inteirinho, com layout, bastando para isso que você diga algo como: "Quero um site com botão vermelho de assine minha Newsletter, duas fotos grandes em cima, um menu lateral"... Pois é... Esse é o GPT-3, um modelo de linguagem, desenvolvido pela OpenAI, uma empresa de pesquisa e implantação de Inteligência Artificial, com sede em San Francisco, Califórnia.



O GPT-3 é o irmão mais novo e genial do GPT-2. Eles são parecidos, mas muito diferentes. O GPT-3 aprendeu muito mais coisas - foram 175 bilhões de parâmetros ensinados a ele (o GPT-2 tinha apenas 1,5 bilhão). Isso é muita coisa a mais. A ponto de o GPT-3 conseguir te dar respostas completas sobre praticamente todos os assuntos do mundo. E não estou falando das páginas que o Google te entrega para você pesquisar. Não. Se você perguntar para o GPT-3 por que as madeiras têm resistência diferente, ele vai procurar em todos os sites e conteúdos digitais e vai formular uma resposta para você... Para aprender tudo isso, o GPT-3 é, como se diz em inglês, task agnostic e minimal tuning. Significa que basta ensinar uma única vez, com poucos exemplos, que ele não só aprende como passa a desempenhar múltiplas tarefas. Nos testes realizados com os artigos que ele escreveu ele conseguiu enganar até 88% dos especialistas sobre a autoria do que havia escrito...


Lembrando que a família GPT já era capaz de fazer imagens também. No site da Open AI, tem a explicação: "Concluímos que, assim como um grande modelo treinado em linguagem pode gerar texto coerente, o mesmo modelo exato treinado em seqüências de pixels pode gerar conclusões e amostras de imagens coerentes". Tá bom para você?


Ele não foi ainda liberado para todo mundo. Por enquanto, está em testes com alguns sortudos escolhidos pela OpenAI. Só depois deve se transformar em uma API (um conjunto de normas que instaladas consegue fazer com que várias plataforma se conversem) aberta. Embora tenha sido tão elogiado, os próprios desenvolvedores tentam botar um "acalmem-se" na história: até Sam Altman, co-fundador da OpenAI com Elon Musk, tentou amenizar as coisas: “O GPT-3 é demais. É impressionante (obrigado pelos elogios!). Mas ainda possui sérias fraquezas e, às vezes, comete erros muito tolos. A IA vai mudar o mundo, mas o GPT-3 é apenas o mais novo vislumbre. Ainda temos muito que descobrir".


Eu não sei se fiquei calma. Em um mundo que está sofrendo tanto para combater as fakenews, em um mundo digital cujo direito autoral ainda não entendeu seu lugar, em um mundo que ainda não sabe como vai ser a educação face a tantas ferramentas novas... o que um GPT-3 sem rédeas pode causar? Deixou para você a pergunta... Uma coisa é certa: esse texto não foi escrito pelo GPT-3. Mas poderia ter sido. E você nem ia perceber. Então...preciso escolher uma próxima profissão. Ou, quem sabe, me especializar de vem em Inteligência Artificial. Alguma dúvida de que é o futuro?





19 visualizações